Comentando o documentário “O dilema das redes”

Ontem assisti ao documentário “The social dilemma”, traduzido para português como “O dilema das redes”, disponível na Netflix. Dirigido por Jeff Orlowski, a obra explora como o vício e as violações de privacidade são atributos, e não bugs ou falhas das plataformas de mídias sociais.

Ex-desenvolvedores, pubicitários e programadores de Facebook, Twitter, Instagram e Google são entrevistados no documentário, alertando sobre os perigos e consequências das políticas de lucro acima de tudo, sem regulamentação estatal, dessas empresas. O cenário nos coloca, como usuários, como presas fáceis para publicidades predatórias e polarização política cada vez maior.

As bolhas e vieses de confirmação gerados pelos algoritmos dessas redes têm contribuído para cada vez mais sectarismo entre grupos que pensam diferente, que já não conseguem dialogar sem agressão. As ameaças às democracias ficam bastante evidentes nas pesquisas mencionadas no documentário.

Nem tudo é pessimista, no entanto. Ao final, alguns dos entrevistados mostram certa esperança em que a humanidade consiga reformar as redes e regular seu uso de forma segura para todos e todas. Cenas dos próximos capítulos, mas eu continuo no time #vemmeteoro

Publicado por Érica Rios

Professora de Direito, pesquisadora interdisciplinar e palestrante. Mestra e Doutora em Políticas Sociais e Cidadania (UCSal). Coordenadora do Núcleo de Pesquisa Conflitos, Estados e Direitos Humanos (NP CEDH) Membro da Comissão de Direitos Humanos do Instituto de Advogados da Bahia (IAB) Membro da International Law Association (ILA)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: